A pergunta mais importante

O João conduzia a toda velocidade pela estrada, quando de repente viu as luzes de um outro autocarro. Mal teve tempo de esquivar o carro. Saiu da rodovia e chocou com uma árvore. Foi um acidente brutal…

João: «Onde estou? Quem é esse gordo barbudo lá? Meu carro desapareceu e este lugar parece como uma nuvem psicadélica. Vou perguntar-lhe». Olá, senhor. Estou a procurar o meu carro, mas não sei onde fica a rodovia.

Deus: Olá, João! Você está morto e não há mais uma rodovia. Eu sou Deus. Bem-vindo ao Céu!

João: Sim, e eu sou um estegossauro. Estou falando sério. Mas… como é que você sabe o meu nome?

Deus: Eu digo a verdade. Eu posso vê-lo tudo: «O Senhor vê os caminhos do homem e examina todos os seus passos» (Provérbios 5:21 da Bíblia). Você morreu num acidente de carro.

João: Sim, é verdade: sofri um acidente de carro, já me lembro. Mas não, não acredito em Deus. Se são ateu, como é que estou aqui?

Deus. Eu gosto de você, você é um cara legal.

João. Ora, muito obrigado. Então… você deve sabê-lo tudo, não é?

Deus. Sim, com certeza.

João. Quem criou você?

Deus. Eu próprio.

João. Isso não faz sentido nenhum.

Deus. Eu simplesmente apareci.

João. Nada surge do nada.

Deus. Se nada surgisse do nada, no haveria nada. No entanto, eu estou aqui falando com você e existo. Além disso, existem muitas coisas no mundo tão bonito que eu criei. Logo, você está errado.

João. Mundo bonito? Fumas charros?

Deus. Sim, de fato, sim. Sete por dia. Do que você não gosta? É a minha criação maravilhosa.

João. O mundo está cheio de pessoas que sofrem: há guerras, destruição, fome… eu sei lá.

Deus. Sim, mas eu não posso controlar o que vocês fazem na Terra. Mandei ao meu filho para ensinar a vocês. Mas ele foi assassinado… Não posso fazer muito mais. Eu tenho que cuidar de outros planetas também…

João. Outros planetas?

Deus. Sim, existem outros seres vivos muito mais inteligentes do que vocês. Não têm fome, guerras, etc. Eles falam uma língua universal (parecida ao esperanto de vocês) e ajudam uns aos outros. Eles ainda não mataram aos meus outros filhos.

João. Quantos filhos tem, senhor Deus? Aliás, qual é o seu nome?

Deus. Quatro filhos humanos, se é isso o que está perguntando. Meu nome genuíno é ·𐑫𐑩𐑰𐑩𐑕𐑪𐑤𐑩, mas para os meus amigos na Terra sou simplesmente Deus ou Deusinho.

João. Não percebi bem o seu nome autêntico. Se não se importa, vou continuar chamando-o de Deus…

Deus. Não faz mal.

João. E agora? Que é o que tenho de fazer no Céu?

Deus. Fique à vontade.

João. Onde estão os anjos?

Deus. Quase todos foram de férias. Lá na outra nuvem há anjos e alguns humanos. Vá lá! Eles vão lhe ensinar como tudo funciona no Céu.

João. Muito obrigado, Deus!

Deus. Não há de quê.

João. Mas antes quero lhe fazer uma última pergunta: qual é o sentido da vida?

Deus. ·𐑫𐑦 𐑵𐑪𐑮 𐑕𐑔𐑦𐑨𐑕, 𐑒𐑧 𐑫𐑦 𐑵𐑧𐑵𐑦𐑩𐑵 𐑕𐑔𐑦𐑨𐑕.

…

…

…

…

De repente, o João acordou. Estava deitado em uma maca de ambulância. «Bosta!», ele exclamou, «Eu não entendi a resposta para a pergunta mais importante».

Um lugar para qualquer tipo de discussão sobre a nossa Língua Portuguesa.

  • 0 users online
  • 1 user / day
  • 1 user / week
  • 1 user / month
  • 1 user / 6 months
  • 11 subscribers
  • 20 Posts
  • 9 Comments
  • Modlog